Obstetrícia (Parte II) e Ginecologia

Mudança de endereço: pessoas, mudei o endereço do blog! A partir de agora será: https://registromedico.wordpress.com. Todo o conteúdo desse aqui está lá também! Em breve esse será desativado!


Edit: Pessoas, a pedidos, escrevi sobre uma experiência que aconteceu comigo esses dias a respeito de Morte de Paciente! Se tiverem tempo, leiam também: https://medium.com/p/faf3860bbf85

—————————————————————

Demorei um pouco mais, mas voltei. Desde o fim de Ginecologia (sim, os posts são retrospectivos haha), não estou tendo muito tempo livre porque estou muito ocupado DORMINDO. Mas tudo bem, falarei do estágio atual em breve.

Mas vamos voltar à Obstetrícia e Ginecologia.

Aqui na minha faculdade, os estágios dessas duas áreas são bem separadas e desvinculados um do outro, e talvez seja bom porque a gente tem oportunidade de se aprofundar bastante em cada uma delas. Existem outras faculdade em que os internos passam muuuuito mais tempo nessas áreas do que aqui (que é 1 mês em cada, no Quinto Ano, e mais 1 mês em Obstetrícia no Sexto Ano), mas mesmo assim, um mês foi suficiente para aprender muitas coisas.

Então, vamos dividir por partes:

1) Obstetrícia

Esse é um dos estágios mais queridos pelos alunos do Quinto Ano porque nós fazemos muitos procedimentos, inclusive partos. Mas, para ser sincero, não acho que são tantos assim, por inúmeros motivos que exploraremos mais abaixo.

O estágio é estruturado em Enfermaria, Pronto-Atendimento, Pré-Natal e Centro Obstétrico. A Enfermaria tem, basicamente, recém-mães que estão internadas pós-parto (as chamadas Puérperas), mas também tem Gestantes com algumas doenças (como a do post passado). Por aqui essa parte é bem complicada, porque cada interno tem que ver muitos pacientes antes da Visita (acho que já expliquei o que é Visita por aqui). E quando digo muitos, são muitos mesmo. Como são muitas e temos pouco tempo, não temos tempo de construir uma relação muito grande com as pacientes, assim como era na Pediatria, por exemplo. Mas no fim é bom para o aprendizado, porque isso reflete muito como é a rotina nos serviços de saúde (e ainda tem gente que acha que é culpa dos profissionais da saúde…).

Bom, o Pronto-Atendimento (PS) era mais interessante porque víamos casos diversos, que iam desde Rotura Prematura de Membranas Ovulares (Tradução: bolsa estorou antes do tempo) até um terceiro teste de gravidez para confirmar. Obviamente a maioria dos casos eram de gestantes que não recebiam boas orientações no pré-natal e precisavam ir ao hospital com dúvidas que teriam sido facilmente tiradas no posto de saúde. Isso sem contar das mulheres que não conseguiam vaga de pré-natal no posto.

E, aí entramos no Pré-Natal, que é bem legal. Em geral no HU atendemos alunas/funcionárias da USP ou seus dependentes, porque as gestantes da comunidade fazem o pré-natal nas UBS da região. Nós atendemos sob supervisão de um Assistente, o que é ótimo, porque em geral as gestantes vinham com umas dúvidas muito difíceis de responder, como se pode comer camarão grávida ou pintar o cabelo (difíceis pra mim que nunca tive contato com mulheres grávidas na vida haha).

E, por fim, o Centro Obstétrico, que é onde as coisas acontecem! Basicamente nós fazemos os partos normais, sempre com supervisão (graças a Deus!) e instrumentamos nas cesáreas, onde o residente opera com o Assistente. É bem legal! O primeiro parto é sempre inesquecível, e dá um medo. Ao mesmo tempo que o parto é a coisa mais natural da vida, tem tudo pra dar errado, convenhamos hahaha brincadeiras a parte, é uma experiência muito legal! Além disso, também ajudamos nas curetagens, que é quando uma mulher tem um aborto espontâneo (ou não) e é necessário tirar os restos que ficam retidos dentro do útero.

E, como já me perguntaram algumas vezes, no meio disso tudo temos aulas, plantões de 12 horas, provas… Mas a vida é assim mesmo!

2) Ginecologia

Carinhosamente conhecida como Gineco, ela é dividida entre HC e HU. Foi a primeira vez no ano que ficamos no HC, e as diferenças são gigantes entre lá e o HU. No HC nós ficamos na Enfermaria, que é basicamente de pacientes que necessitam de cirurgia. Por isso, entramos em muitas cirurgias, o que é legal, dependendo do ponto de vista haha

Já no HU, ficamos no Pronto-Atendimento atendendo as “emergências” que apareciam por lá, que basicamente consistiam em mulheres atrás de testes de gravidez.  Eu, como homem sem útero, não consigo imaginar como uma mulher aguenta de ansiedade de ir até o hospital fazer um teste de gravidez, sendo que pode comprar um na farmácia e saber o resultado na hora.Mas enfim, são muitas, inclusive crianças encaminhadas da Pediatria com queixa de dor e inchaço na barriga.

De vez em quando vinha alguma paciente com uma doença mais grave, e aí dava pra aprender mais coisas e ajudar melhor a paciente.

No HC tínhamos ambulatório nas tardes, e eram muitos pacientes por dia. Muitos mesmo. É engraçado (trágico) ver que somos preparados para atender pessoas rapidamente, porque a demanda é gigantesca. O bom, para os alunos, é que em um dia você já aprende milhares de coisas por ver muita gente.

Não tenho muitas histórias interessantes pra contar desses dois estágios, porque seria anti-ético contá-las aqui hahaha basicamente é isso aí!

Em breve eu volto para contar da Cirurgia, que finalmente começou! (:

Anúncios

42 comentários sobre “Obstetrícia (Parte II) e Ginecologia

      • Você consegue ter um tempo livre? Eu amo medicina, e estou estudando muito para passar no vestibular, porém estou com muito medo de acabar abandonando minha mulher, sabe me dizer se existe algum tempo livre?

        • Olá. Sim, temos tempo livre! É lenda isso de que quem estuda medicina e é médico não tem tempo para viver. Basta sabe administrar o seu tempo!

  1. Deco, sério que você só voltou para contar basicamente como funciona o estágio e não contou nenhum caso interessante ou algo que mexeu com você… sei lá rs
    Mas tranquilo né rsrs

      • agora sim, até me emocionei. Enfim, parabéns pelo trabalho, e por sua linda habilidade de passar para nós leitores do seu blog as sensações que você vive diariamente, pelo menos eu sinto.
        Sucesso Deco ! 🙂

      • Deco,
        Conheci seu blog ontem e o estou lendo há horas! Haha tenho 16 anos, sempre quis ser medica e nao mudarei de opiniao jamais, espero adquirir a mesma quantia, se nao mais, de conhecimento q vc adquiriu. Ja te admiro profundamente e apesar da minha familia me apoiar, nuncaa encontrei alguem com opinioes tao semelhantes as minhas em relaçao à vida de vestibulando( q n e nda facil rs)quanto você. Vc é uma pessoa mto sábia e suas palavras só fazem fortalecer meu sonho! Obrigada e continue iluminando nosso caminho, vc arrasaa! Bjuus

        • Olá! Que isso, não fale essas coisas! Todos temos muito que aprender ainda!
          Boa sorte aí na sua caminhada! Logo mais estará por aqui cursando também!

  2. Aaaaah, até que enfim! Estava ansiosa por novidades, hehehe. No fundo, estava era com dó, imaginando a falta de tempo para tudo. Parece osso o internato!
    Já decidiu o que vai fazer de residência?

    • Olá. Em geral as provas são casos clínicos e escritas. Em alguns estágios temos provas práticas, e temos que responder oralmente.

  3. Aaaaaah, que legaaaall… é pelo visto a sua correria já está começando né? boa sorte, e saiba que eu sempre espero ansiosamente pelos seus posts haha.
    Li sobre como é perder um paciente… acho que nas primeiras vezes deve ser meio doloroso mesmo perder um paciente mais depois acaba se tornando uma coisa “normal” haha enfim boa sorte nos hospitais

  4. Amooooo , seu blog, amo vc e o seu jeito engraçado, no bom sentido, de falar sobre sua vida na faculdade, não sei se vc percebe mas é muito importante tudo que postas.Obrigada por dividir parte da sua vida com todos nós leitores, começo esse ano minha jornada de estudo para ingressar em MED, ainda serei uma colega sua de profissão, se Deus quiser, um abraço.

  5. Caramba, nem acredito que terminei de ler todos os teus posts o/ E como levou tempo, mais de duas semanas.
    Era uma diversão para as madrugadas e com certeza uma forma de “prever” o que vem pela frente.
    Fui aprovado recentemente no vestibular de medicina e minhas aulas começam agora e procurando no google a vida de estudantes de medicina, encontrei teu blog. Que evolução, hein?!
    Me sinto um amigo teu já, kkkkkkk
    Cada post por mais “bobo” que seja inspira muitas pessoas! Eu já fiz curso superior em IES pública (que abandonei pra tentar MED) e sei o quanto é difícil e como é burocrático estudar nelas.
    E devido ao teu blog tive coragem para reativar o meu ( http://www.joaogustavosotero.blogspot.com.br ), um sonho que tinha de contar meus dias e experiências, no início até pensei em narrar minha rotina no cursinho, mas os estudos não deixavam e agora passando no vestibular, tive motivação!
    Agradeço e desejo que muitos ainda se inspirem com a tua rotina!
    Abração!

    • Oi João! Primeiramente, parabéns!!
      Boa sorte aí no começo do Curso. É chato, mas logo mais melhora hahaha
      Que legal, escreva sim. Passarei la para ler!
      Fico feliz em saber que ajudo de alguma maneira!
      Abraços

    • Olá Thiago. Os cortes sangram sim, mas não muito, pois os Obstetras (e cirurgiões em geral) quando cortam a pele já ocluem os vasos que estão sangrando, e aí não sangra muito. E agora muitos usam bisturi elétrico, que facilita muito na hora de cauterizar um vaso sanguíneo.

  6. Volta a escrever Deco! Você é um ídolo para nós que queremos o mesmo sonho que o seu. : ser médico. Beijoooos

  7. cadê você Deco ? nunca mais postou
    😦 queria tirar umas duvidas, mais espero q volte logo, tudo de bom pra você

  8. oi, comecei a ler seu blog esses dias e tbm tenho vontade de fazer medicina, mas só que eu sou um pouco fraca pra ver aquelas pessoas q sofrem mutilações, então pra mim o pronto socorro seria super dificil, mas nao tenho problema em ver imagens de corpos cortados (anatomia) então vc me aconselha continuar nessa minha escolha ou mudar de curso

    • Olá. Se é o que você quer, tenho certeza que você superará esse problema. Se formos contar, passamos uma parte mínima do curso vendo esse tipo de coisa. E no futuro, nós escolhemos com o que queremos trabalhar, então eu acredito que você não terá problemas com isso!

  9. Deco desapareceu, ainda lembro quando conheci o blog e estava no cursinho o incentivo que dava a continuar estudando. Hoje, já aprovado no vestibular, estou no 2º ano :D. #VoltaDeco estamos curiosos pelas novidades do internato

    • Oi Erick. Pretendo voltar hahaha não morri!!
      O internato está quase acabando. Acho que eu tenho muita coisa para escrever, então haha
      Obrigado pelo comentário! 🙂

  10. André, gostaria saber se você tem alguma dica de livros para estudantes que ainda estão no ensino médio e se interessam pela área. Eu ainda não achei nenhum que tivesse uma linguagem mais clara e possível para pessoas que não estão totalmente por dentro da linguagem médica e quero muito ler sobre o assunto “medicina” em geral.
    Obrigada!

    • Olá! Eu não costumo ler esse tipo de livros, mas há quem diga que os do Drauzio Varela são muito bons! Então dá uma olhada neles 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s