150

Mudança de endereço: pessoas, mudei o endereço do blog! A partir de agora será: https://registromedico.wordpress.com. Todo o conteúdo desse aqui está lá também! Em breve esse será desativado!


Enfim, voltei. Hoje notei que faz o dobro do tempo que não escrevo aqui do que me resta para terminar a faculdade. Cento e cinquenta dias. O que seria isso comparado com os 2306 dias em que estou aqui? (6,5%, no caso haha)

Por algum tempo fiquei sem saber o que escrever aqui, mesmo com um milhão de coisas acontecendo no internato. E aí o tempo foi passando e quando vi estou aqui no feriado, nas últimas férias da Graduação, faltando apenas 150 dias para acabar tudo. Então decidi voltar. E com um plano talvez audacioso: postarei 15 vezes, a contar com hoje, a cada 10 dias até o final. Vou tentar botar tudo em dia, então preparem-se para textões, porque escreverei bastante!

Bom, vou falar hoje um pouco sobre o sexto ano. Nos próximos eu vou escrever sobre os estágios que faltaram no ano passado (Cirurgia Geral, Cirurgia do Aparelho Digestivo, Clínica Médica, Otorrinolaringologia, Oftalmologia, Infectologia, Dermatologia e Psiquiatria).

O sexto ano aqui na faculdade é famoso por ter muita carga horária em Pronto-Socorro (PS)/Emergência, e realmente tem. O ano é dividido em duas partes: um semestre no Hospital Universitário (HU) e outro no Hospital das Clínicas (HC). Em ambos temos PS. Mas não é só isso. Temos também um pouco mais de Enfermaria, Ambulatório e Neonatologia (Berçário, Alojamento Conjunto [onde as mães ficam internadas após o parto com os bebês] e Sala de Parto), porque isso nunca tem fim, né minha gente.

O semestre no HU é dividido em três partes: Clínica Médica, Cirurgia Geral e Pediatria Neonatal. Já o semestre do HC tem mais coisas: PS de Cirurgia, PS de Clínica, PS de Cardiologia, PS de Neurologia, PS de Pediatria Terciária, PS de Ortopedia e PS de Obstetrícia (além de Enfermaria).

Além disso tudo, temos a famigerada Prova de Residência no final do ano, que é uma assombração durante o quinto ano, mas totalmente presente durante o sexto. E todo mundo pergunta: Já escolheu o que vai fazer? Já sabe o que vai prestar? Vai pro Exército (tema para um post futuro)? …… NÃO. Deixe-nos aqui sem escolher, por favor? Hahaha

É muita pressão para que todo mundo saiba o que vai fazer de Residência, de subespecialidade e etc., e sempre tem aquele Assistente que fala: “Tem que saber a cura de todas as doenças não só pra vida, mas pra prova também viu!!”. Então ok, né! Não sei ainda se existe vida após a prova, por isso é melhor saber tudo mesmo pra ela.

E a relação com paciente no Sexto Ano é tão diferente. Você tem mais confiança, sabe mais, consegue explicar melhor tudo e já dá vontade de fazer tudo. É até um pouco angustiante ter que ir discutir o caso com um Residente ou Assistente, esperar o carimbo dele para medicar o paciente com Dipirona/Paracetamol ou dar alta para uma infecção viral (sim, tem que falar desse jeito, porque se fala Virose a pessoa sai do consultório nervosa). Mas ao mesmo tempo é bem reconfortante saber que você tem um apoio para quando não saber exatamente o que fazer (o que, felizmente, está diminuindo a frequência).

Enfim, estamos quase lá. As vezes parece que não sei nada ainda. Na realidade quase sempre hahaha. Mas ao mesmo tempo eu sei que já aprendi bastante. Agora faltam só 150 dias, então tem que aproveitar cada minuto!

Pois bem, meus amigos! Cá estou de volta! Muito obrigado pelos comentários e e-mails pedindo minha volta. Vocês podem agora fazer depósitos na minha conta para que eu continue escrevendo hahaha brincadeira! Voltem daqui 10 dias que conversaremos mais. E estou respondendo a todos, devagar e sempre.

Até a próxima!

Anúncios

18 comentários sobre “150

  1. Muito legal que você voltou, Deco!!! : )))
    Deixa eu aproveitar e perguntar uma coisa: o que vale para conseguir ou não uma residência?
    Não tenho ideia (e nem acho que deveria ter tanta assim, na vdd), e o pessoal da minha sala, no primeiro ano, já está vendo e pensando nessas coisas hahaha e eu ainda me (abre mil aspas) adaptando (fecha mil aspas) : )))

    • Oi Lana!
      Bom, a Residência é basicamente uma prova de 1a fase, que em geral é múltipla escolha, uma de 2a fase, que nas maiores escolas são questões práticas, e uma entrevista/arguição. Na maior parte dos lugares a entrevista vale 10% da nota final, e é onde a gente pode se preparar antes, fazendo ligas, cursos, iniciação científica, etc. Mas em geral tem que ir bem nas provas mesmo haha não tem muito segredo.

  2. Que bom que vc voltou, Deco! Seu blog é ótimo, super curto ler! Meu sonho é fazer medicina… Te fazendo uma perguntinha: Você participou de muitas ligas? Vc acha que nas USP o conteúdo da faculdade é mais aprimorada que em outras faculdades brasileiras? O inglês é essencial para o curso de medicina ou só para o vestibular mesmo? Estou ansiosa por sua resposta e grata desde já! Bjs 🙂

    • Oi Fabiana! Obrigado!
      Eu participei de algumas, mais no começo da faculdade. Como aqui tem muuuuuitas ligas (mais de 80), então a gente tem bastante opção. Eu devo ter participado de umas 10 durante toda a graduação. Mas tem gente por aqui que participa de mais. E tem outros que de menos. Varia bastante.
      Então, não sei dizer certamente porque não conheço as outras, mas aparentemente tem muitas faculdades ruins pelo Brasil, que todo mundo sabe quais são. Mas as boas são bem parecidas entre si. O que diferencia bastante é o Internato, em que as Escolas maiores, mais tradicionais e com mais recursos têm muito mais vantagens.
      Inglês é muito importante pro curso porque te dá muito mais oportunidades. Eu, por exemplo, consegui o intercâmbio, e cada vez mais intercâmbios estão acessíveis para os estudantes. Eu acho que vale a pena investir um tempo aprendendo inglês!

  3. Oi Deco ! Preciso de um conselho. rs’ Quando eu era criança, sempre quando alguém me perguntava o que eu iria ser quando crescer, a resposta era simples: médica. Mas a vida acabou me afastando desse sonho, e agora estou prestes a entrar na faculdade (administração) e estou em dúvida. Sei que parece clichê, mas é a verdade. Acho que desisti desse sonho, porque não me acho inteligente pra isso, porque sou péssima em rotina de estudos. Mas ao mesmo tempo o meu coração diz que eu devia pelo menos tentar, e esse ”tentar” significa ir até o dia que eu conseguir, mas tenho medo de fazer uma má escolha… Aguardo retorno, desde já obrigada ! Eu amo seus posts. 😉

    • Olá. Você tem que escolher o que é melhor para você! 🙂 E deve levar os seus sonhos em consideração! É difícil quando chega esse momento da decisão, mas temos que enfrentá-lo cedo ou tarde! Espero que você consiga decidir o que for melhor para você! E boa sorte!!

  4. Oi Deco, eu admito, senti muita saudade de ler tuas palavras por aqui!
    Te dou o maior apoio pra que continue escrevendo, e não sabe como meus olhos brilharam quando revelou o plano de 15 posts *-*
    Um abraço gigante direto da Argentina!

  5. Olá Deco. Queria saber com quantos anos começou a faculdade de medicina? Pois pretendo fazer medicina e tenho quase 19 anos. Porem o tempo está passando e ainda não consegui passar no vestibular. Estou passando por alguns problemas de saúde que tem atrapalhado minha rotina de estudos. Sempre me esforcei e tenho disciplina, mas parece que nada vai adiante.
    Estou vendo meu sonho ficar mais distante por mais um ano. 😦
    Mas sei que desistir não é uma opção…
    Espero que veja esse comentário. Amo seus posts.

    • Olá Sâmye! Eu entrei com 19, mas tem gente que entra com 16. Outros com 25. Tem gente com 30 e tem até um senhor de mais de 50 que passou recentemente. O importante é realizar o seu sonho, e para isso tem que ter paciência e determinação! Boa sorte por aí 🙂

  6. Que bacana que voltou Deco, estávamos morrendo de saudade das postagens (momento fofo hahahaha). Curiosíssimo para saber tudo o que rolou até agora e o que irá acontecer no seu internato e a preparação para a temida prova ! Enquanto isso, estou aqui perdendo o sono com estatística e desejando ansiosamente as férias hahaha. No aguardo do proximo post 😀

  7. Oi Deco! Fico feliz que você tenha voltado! Já li muuuitos posts seus, desde o início. Parabéns por ter chego até esse ponto da jornada, mesmo 😀
    Queria aproveitar pra tirar uma dúvida… eu tenho muita vontade de fazer Neurociência, e ela é interdisciplinar. Mas o foco que eu desejo (pesquisa e reabilitação) se encaixaria melhor pra fazer a graduação em Medicina (pelo menos até onde eu sei). Porém tem toda aquela conversa de que estudante de medicina não tem vida, é uma máquina de estudos 26 horas por dia etc. Aí queria saber o que você acha disso. É que eu quero, claro, ajudar as pessoas a viverem de forma melhor, mas eu também quero viver! Entende? Do tipo aproveitar um dia de parque no final de semana, viajar às vezes, ou encontrar amizades importantes de vez em quando.
    Enfim.. é isso. (aliás, desculpe pelo comentário grande :p).
    Aguardo retorno, abraços 🙂

    • Oi Stefany. Essa é a pergunta mais feita por aqui. A resposta é sempre essa: sim, você tem muito tempo livre. Só trabalha 26h por dia quem quiser, assim como em qualquer profissão! Desde que você organize o seu tempo, você consegue fazer tudo que quiser 🙂

  8. Parabéns pelo blog! Ainda não entrei para a faculdade de medicina, mas sempre foi meu sonho. Farei residência em pediatria.
    Grande abraço!
    Beth Ju.

  9. Descobri seu blog há pouco tempo, e mesmo tendo lido pouco, gostei bastante, obrigado por deixar as coisas mais simples pra quem “é de fora”. Tenho umá dúvida: Existe uma pressão caso você decida por não fazer residência? É tranquilo conseguir um R$ durante a graduação(e também na residência)?Ou é só despesa? Vou tentar passar pela primeira vez em esse ano, e tenho essa dúvida por que depender financeiramente por muito tempo da minha família seria algo complicado.
    Obrigado.

    • Oi Vicente.
      Bom, nos dias atuais, é muito difícil não fazer Residência Médica porque os seis anos de curso de Medicina não são suficientes para termos uma formação completa. Mas é possível, sim, trabalhar sem residência. Durante a graduação é difícil ter um emprego fixo, já que a faculdade é integral. Na residência nós ganhamos uma bolsa de, em média, 2600 reais. Mas é possível fazer trabalhos extras para ganhar um pouco mais.
      Boa sorte!! Abracos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s