Clínica Médica (Geral) – 5º Ano

Mudança de endereço: pessoas, mudei o endereço do blog! A partir de agora será: https://registromedico.wordpress.com. Todo o conteúdo desse aqui está lá também! Em breve esse será desativado!


Voltei! Atrasado. Infelizmente não cumpri com o combinado porque tive uma semana infernal de fim e troca de estágio. Tive plantão em quase todos os últimos dias, e nos dias que não tinha plantão, eu estava dormindo porque eu mereço, não é mesmo?

Mas cá estou, na madrugada fria de um plantão no PS do InCor (Instituto do Coração), escrevendo porque nesse frio e nesse horário ninguém quer ficar doente e não tem uma viva alma aqui querendo atendimento.

Pois bem, no último post eu falei um pouco sobre Otorrino e Oftalmo, que fazem parte do Estágio de Clínica Médica. O estágio tem duração de 3 meses e nossas manhãs são divididas em três partes: Otorrino/Oftalmo + Enfermaria de Retaguarda do PS (Enfermaria do 5º Andar) + Enfermaria de Clínica Médica (Enfermaria do 6º Andar). Descreverei todas a seguir, além de contar mais sobre o restante das atividades da tarde:

[Para ler o restante, clique em LEIA MAIS ali no canto direito]

1) Otorrino/Ofatalmo: apesar de serem especialidades mistas (clínico-cirúrgicas), elas foram incorporadas no estágio da clínica, não sei o porquê. Para ler mais sobre, veja o post anterior!

2) Enfermaria do 5º andar: essa enfermaria é de retaguarda do PS. O que isso quer dizer? Significa que ela existe apenas para internar pacientes do PS que não estão prontos para terem alta, mas também não têm mais condições de ficar em observação lá. Em geral os casos que vão internados lá são descompensações de doenças crônicas que precisam de um tratamento mais longo do que é possível de fazer em um PS. Mas também aparecem umas doenças novas lá e bem interessantes.

Nessa enfermaria tínhamos poucos pacientes para ver, mas os casos eram bem legais e a rotatividade era grande, porque eles melhoravam e iam embora relativamente rápido. Mas, em compensação, eventualmente surgiam casos muito graves e de difícil manejo, e as mortes não eram tão incomuns nessa Enfermaria.

Lá eu aprendi com um assistente que assim que internamos um paciente, a primeira pergunta que devemos fazer é: quando ele vai de alta? Achei interessante essa visão, porque em geral a gente interna e fica fazendo coisas e coisas e coisas e não se importa muito em quando ele vai embora. Mas é possível sistematizar a internação e otimizá-la, fazendo com que o paciente fique o menos de tempo possível internado, evitando complicações comuns de internação hospitalar (infecção e iatrogenias, por exemplo).

3) Enfermaria do 6º andar: … sem muito o que dizer sobre esse lugar. Foi o estágio que eu menos gostei no internato. Achei essa Enfermaria horrível para internos, pois os casos eram crônicos e muito complicados para manejar, e os pacientes que chegavam lá sem diagnóstico demoravam muuuuito tempo para descobrir o que tinham. Não foi legal.

E tive uma experiência marcante com uma paciente em especial, que era bem reclamona e me dava bronca se eu passava para vê-la 5 minutos atrasado. Infelizmente ela tinha algum problema que não conseguimos reverter e, então, ela morreu quase no final do meu estágio. Foi muito agoniante porque a gente via ela morrendo por uma doença simples e não dava para fazer nada, além de conforto. Vai entender da vida e da morte…

Mas enfim, essa enfermaria foi icônica. No 5º ano nós ainda estamos muito crus da prática da Medicina. Só que somos jogados lá e temos que saber tudo de Clínica porque os pacientes têm doenças muito complexas e quadros difíceis de lidar para quem está começando. Porém, o estágio foi ótimo para eu ver que Clínica Médica não é o meu lugar, definitivamente (fato que constatei diversas outras vezes durante esses três meses).

4) Plantões noturnos na Enfermaria – Pense no inferno na terra. Pois é, eram esses plantões. Apesar de ficarmos bastante tempo ociosos, o plantão já começava errado porque era a partir das 17h, e não das 19h. E, para a nossa infelicidade, não existe o famoso pós-plantão (período de horas de descanso após o plantão, em geral da mesma duração que o plantão). Ou seja, se pegávamos um plantão durante a semana, tínhamos que chegar às 7h (ou antes) na Enfermaria para ver os nossos pacientes, passávamos a manhã toda lá, tínhamos aula a tarde e às 17h já estávamos no plantão, que em geral não dava para ir dormir antes das 3h da manhã. E aí não acabava às 7h, porque voltávamos para enfermaria e ficávamos lá atééé acabar as atividades da tarde. Logo… plantão de 48h. (#desabafo)

Mas enfim, os plantões eram ruins porque em geral tínhamos que esperar o povo do PS decidir quem que iria internar na enfermaria, e isso acontecia lá pelas 23h. E, obviamente, tudo de ruim acontecia ao mesmo tempo. As enfermarias viravam UTIs durante a noite, e parece que é só anoitecer que os doentes decidem descompensar. Bom, era ruim.

5) Ambulatório de Geriatria – dizem que a especialidade do futuro (e presente) é a Geriatria, mas temos tão pouco contato com ela, na prática, durante a graduação. Essa é uma das poucas oportunidades, e foi até que interessante. Fazíamos uma consulta de nível primário no Centro de Saúde Escola Paula Souza, que na realidade é uma UBS (posto de saúde), localizada ao lado da Faculdade de Saúde Pública da USP, que fica ao lado da Faculdade de Medicina. A maioria dos velhinhos lá atendidos já fazem acompanhamento em Geriatria lá há bastante tempo, então eles são muito bem acompanhados, então temos poucos problemas. No entanto, os casos novos que chegam são tristes de ver. Eles chegam trazendo trocentas receitas com mil remédios para pressão, diabetes, colesterol, dor, antidepressivo, hormônio tireoidiano e mais trocentos pedidos de exames que estão esperando há séculos para fazer. Ou seja, bagunça. Mas a nossa missão lá é botar ordem no caos, e acredito que conseguimos fazer bem isso.

Apesar de eu não gostar nada de geriatria, e, definitivamente, querer passar longe dessa especialidade no futuro, achei legalzinho esse ambulatório e fico impressionado com o conhecimento e habilidade que os geriatras têm. Fora que os vôzinhos são bem legais, na maior parte das vezes!

6) Ambulatório Geral e Didático: Pensa na coisa que eu mais detestei durante toda a faculdade. Queria reler todos os meus posts pra lembrar o que eu menos gostei e escrevi aqui, mas tenho certeza que o Ambulatório Geral e Didático (AGD) bate os recordes. Esse ambulatório ocorria uma vez por semana durante os três meses de estágio. Tínhamos a nossa agenda com três pacientes marcados, mas também atendíamos os casos novos que vinham encaminhados de todos os lugares do Complexo HC. Quando digo todos, digo todos mesmo. Vinha paciente do pronto-socorro, dos ambulatórios das especialidades, da ortopedia, do psiquiatria, dos pós-operatórios. E quem conhece, sabe que os pacientes HC nunca são fáceis, né. E aí, o que seria para aprender a tratar hipertensão e diabetes, vira ambulatório de dor crônica, cuidados paliativos, depressão refratária a tratamento convencional, câncer metastático, AVC e tudo o que vocês quiserem imaginar. Sério……. era desesperador.

Bom, náo vou me alongar muito sobre ele. Vou falar apenas da parte boa dele: um dia ele acabou!!

10685447_10152436031748087_3620230433892888471_n
Sistema de prontuário do AGD. Que, para ajudar na ruindade, era péssimo de usar.

Gente, enfim, vou encerrar o post por aqui porque fiquei até triste em fazê-lo por relembrar desse estágio sofrido hahaha em breve voltarei para falar mais dos últimos estágios do quinto ano e começar os do sexto, porque logo mais estou formado e não vou conseguir falar tudo que preciso hahaha

*112 dias para o fim*

Anúncios

25 comentários sobre “Clínica Médica (Geral) – 5º Ano

    • Experimente passar por tudo o que ele passou, todos reclamam tendo ou não vocação e se ele chegou até onde está foi por merecimento,com ou sem reclamações ele merece e vocação com certeza deve ter para estar onde está. Faculdade de Medicina é difícil para qualquer um tendo ou não jeito com a coisa. As pessoas pensam que médico tem que ser perfeito, eles não sofrem, não podem reclamar, não podem isso aquilo, mas graças a Deus temos essas pessoas que estão ai estudando para nos ajudar no futuro, o que por si só já é algo admirável.

      • Isso aí! Hahaha a gente é gente também! E eu reclamei os 7 anos inteiros. Não seria hoje que não reclamaria hahaha mas eu gosto, fazer o quê?

  1. Olá Deco tudo bem? Agora tive a vontade de escrever, venho acompanhando seu blog pelo fascínio em querer me interar dos assuntos de Medicina. Tenho 35 anos e fiz Adm de empresas e hoje não tenho mais gosto algum pela profissão que escolhi mau. Cada vez mais cresce em mim a vontade de estudar outra área que neste caso já corro atrás e me encontro preparando para entrar na medicina. Como você já esta em reta final, gostaria de saber sua opinião sobre meu ingresso a essa outra profissão que quero adiquirir, opinião sobre eu entrar nesse curso e nessa idade, se você conhece pessoas mais velhas que entraram na medicina na mesma ou mais idade e como estão lidando com isso!?!? Parabéns pelo seu blog, ele é muito bom de ler 😉 Abraços Luciana Andrade

    • Olá! Idade não é impedimento não!! Tem muita gente mais velha cursando e muito feliz! Nunca é tarde para realizar os sonhos 🙂
      Boa sorte!!

  2. Deco, acho que nunca vi um post com você tão de saco cheio uahauhauhauha
    Mas ei, queria perguntar: o que tu acha de Neurologia? Vocês viram pouco a respeito do assunto ou não? É que eu penso em seguir nessa área, ou em Neurociências, acho interessante pra caramba!

    • Hahaha ai Stef, esse estágio foi terrível. Mas passou! Quando eu falar da Clínica do 6º ano, vou me redimir, porque eu gostei bastante!
      Bom, eu e quase todos do mundo, achamos neuro super difícil hahaha mas é muito interessante! A gente tem bem menos Neurologia do que os alunos de medicina dos EUA, por exemplo, mas vemos bastante por aqui! E teremos um estágio só para Neurologia Clínica e Neurocirurgia no 6º ano. Neuro é super legal, espero que você consiga seguir esse caminho no futuro 🙂

  3. Que saudades, Deco. Enfim, muita força e energia nesse restinho de caminho. Você merece tudo de bom; obrigado pela dedicação para com esse blog, e obrigado por nos manter recheados de informação. Abraços!

  4. Engraçado que as pessoas esquecem que médicos também são seres humanos e não máquinas que “não podem reclamar” ou que “não podem ficar cansados” e etc. Acho que idealizam tanto a profissão que a tornam utópica e digna de um robô.
    Muito bom os seus posts, Deco. É legal saber como é o internato de verdade e não a versão fantasiosa do Grey’s Anatomy ou House. Cada vez que passo aqui e vejo um post novo, minha barrinha de “animo para estudar” da uma recarregada. hahahahaha
    Parabéns pelo seu esforço e dedicação. E, com sempre, obrigada por compartilhar isso com a gente.
    Um beijo e uma ótima semana.

  5. André, eu fico muito empolgado por vc em saber que já está quase acabando. Comecei a ler seu blog logo depois de ter passado o vestibular, só que como a universidade estava em greve passei muito tempo esperando pra começar. Com todo esse tempo eu comecei do seu primeiro post e li o blog por muitos dias até dar conta de chegar no último post da época, rs. Agradeço porque isso me empolgava e me deixava mais ansioso por começar. Hj continuo lendo e acompanhando cada post e continuo ansioso porque acabei de terminar o sexto período e só falta um ano para o internato 😀
    Tenha certeza que mesmo as suas reclamações são úteis e engraçadas, haha. Abraço!

    • Oi Matheus!! As reclamações são parte do meu estilo de escrita hahaha mas fazia tempo que não reclamava! Que bom que ajudei de alguma forma! Espero que a sua caminhada por aí seja tão feliz quanto a minha foi (já estou em clima de despedida haha). Boa sorte e abraços!!

  6. Olá Deco, me interessei bastante pelo seu blog. Estou no segundo ano do ensino médio e estou muito interessado em cursar medicina. Pretendo fazer cursinho no objetivo depois do terceiro ano, mas quero antecipar os estudos antes disso, queria uma ajuda amiga, se tiver tempo, é claro. Teria como me passar alguma grade de matérias ou me falar como você estudou? Me contate pelo email: giovaniname@hotmail.com ou me mande mensagem pelo facebook: Giovanni Mota de Oliveira.

    Abraços e agradeço desde já!!!

    • Oi Giovanni. Bom, faz 7 anos que eu prestei vestibular. Naquele tempo não existiam smartphones, o Lula era presidente e Nelson Mandela estava vivo. Ou seja, faz tempo hahaha então eu não lembro exatamente como era minha rotina. Mas em geral eu estudava as matérias do dia que tinha no cursinho. E muitos outros amigos também fizeram isso e deu certo! Boa sorte e força!!

  7. Oi, Deco! Bom, comecei a ler seu blog há uns 5 anos quando finalmente decidi que medicina era o que eu queria fazer na minha vida. Sempre lia seus posts pra tentar dar aqueeela motivada nos estudos pro vestibular e pra entender como era a rotina e a vida na FMUSP. Pois bem, depois de tanto tempo acabei entrando esse ano na Pinheiros e comecei a entender um pouquinho mais desse mundo sobre o qual você tanto escreve.
    Nos últimos dias (graças a deus de férias!) me dediquei para ler os seus posts iniciais e pude ver que muita coisa que você postou foi parte da minha realidade no primeiro semestre (as aulas do IQ que você sai sabendo menos do que quando entrou, as aulas no ICB com um suposto professor de fisiomembranas que não sabe manejar um microfone… – O currículo mudou, mas várias coisas continuaram iguais pelo jeito hahaha).
    Espero que, em 2020 (só aceito me formar depois se eu pegar um intercâmbio que nem o seu hehehe), eu volte a ler esses seus posts sobre o internato e sinta as mesmas coisas que eu senti lendo os posts do primeiro semestre, que eu veja a faculdade do jeito que você vê de forma tão inspiradora!
    Que você tenha um bom final de curso e todo o sucesso do mundo!
    Abraços!!!

    • Oi Rafael!! Que legal!! Parabéns, um pouco atrasado hahaha espero que esteja gostando! Pois é, ICB, IQ… Passa tão rápido! Logo mais 2020 está aí e você estará por aqui, como eu, num plantão de domingo de manhã cansado e com sono, porém feliz hahaha
      Boa sorte e força que logo vem a parte legal do curso hahaha abraços

  8. MEU DEUS, VOCÊ É UM ANJO NA MINHA VIDA, VOCÊ NÃO SABE O QUANTO TO FELIZ EM ACHAR ESSE BLOG! Vo explica o porque ..Bom, meu nome é Brenda, tenho 15 anos, to no primeiro ano do ensino médio, estudo em uma escola publica aqui em Campinas, confesso ser bem relaxada com os estudos, não estudo muito,colo em provas (quem nunca?), eu sei que isso um dia vai me prejudicar, meus pais pegam muito no meu pé nos estudos, o sonho do meu pai é me ver formada em medicina, esse é o sonho dele .. o meu sonho,bom, nem eu sei, mais de tanto ele fala até que eu curti a ideia de ser médica,e a um mês atras decidi,É MEDICINA QUE EU VO FAZER! Tenho um pouco de reconhecimento do que é a area da saúde, minha mãe é enfermeira e meu pai técnico em radiologia ,eles me falam muito sobre trabalha em hospitais e tudo mais, isso ajuda muito ( tanto é que decidi ser pediatra, amo crianças). mais enfim, desde de quando decidi que é medicina que vo fazer, to vendo vaaaaarios videos de universitários , explicando ajudando,e piorando a situação, tem gente que fala coisas assustadoras, do tipo: você vai passa quase 10 anos só estudando, quem estuda em escola particular tem mais chances (não que isso seja mentira, mais isso abaixa minha auto-estima, meus pais tem condiçoes de pagar uma escola particular, mais eu não quero,pra quando chega na faculdade não ter que fica dependendo deles pra paga a faculdade, moradia e tudo mais) mas no meio de tanto desespero ,achei um site super legal, o Descomplica, e agora abriu inscriçoes pra quem que passa em medicina, assinei o curso, paguei e ano que vem começo a fazer , junto com o pré-vestibular, vo fazer dois anos, ja programei tudo, vo fazer aulas particulares de matemática, pra ajudar nas lições da escola, eu só boa nas outras matérias,da pra conta nos dedos quantas vezes tirei nota vermelha, apesar de ser super ruim em matemática, nunca tirei nota vermelha ! No meio de tudo isso,estava a procura de uma pessoa que fizesse medicina e tivesse um blog,canal no youtube, achei claro, MAIS NINGUÉM SUPERA VOCÊ, voce conta tudo desde do primeiro dia de aula, oque estudo, isso vai me ajudar MUITO, a partir de hoje sou sua fã ! você não tem noção do quanto vai me ajudar, espero manter contato com você(você seria um ótimo professor pra quem escolheu medicina, que tal umas aulas aqui pra mim? hahaha ) espero muito um dia dizer, eu consegui passar em medicina Deco hahaha desculpa o texto enorme, simplifiquei tudo que aconteceu , sucesso na vida, seja qual for a área que você escolher, espero ser um dia atendida por voce hahaha beijos

  9. Oi, Deco!
    Descobri há não muito tempo esse blog, mas já estou apaixonada. Varei a noite lendo todos os seus posts e, a cada um, fui tendo mais certeza de que gostaria de seguir o mesmo curso.

    E, por isso, venho aqui para pedir um pequeno conselho: em qual campus eu deveria me inscrever, FMRP ou FMUSP? Em ambos, se eu passasse (sonho T^T), eu teria que me mudar; no primeiro, porém, eu teria mais comodidade – é mais perto, cidade mais tranquila -, mas fico em dúvida porque o de São Paulo parece ser mais tradicional e bem estruturado, com todas essas unidades que os alunos frequentam, bibliotecas, por exemplo… Enfim, qual você acha?

    Muito obrigada! E parabéns! Você, apesar de reclamar um pouquinho (-e), parece adorar o que faz, é tipo aqueles casaizinhos que vivem brigando e reclamando um do outro, mas estão sempre juntos. =]

    • Oi Julia! As duas faculdades são ótimas. O vestibular é diferente, existem algumas alterações na estrutura dos cursos e o internato também é diferente, mas em geral são bem parecidos. Lá é bem organizado e tradicional também. Vale a pena pensar nos extras mesmo, como a cidade, qualidade de vida, etc.
      Sim, eu reclamo mas gosto hahaha
      Boa sorte pra você 🙂

  10. Olá. Gostaria de saber se a faculdade de medicina exige muito do aluno. Eu quero dizer, eu sei que é integral e é puxada, mas vocês tem tempo para estudarem sozinhos? Por exemplo, no internato você consegue tirar um tempo para estudar para as provas de residência?

    • Oi Luana. Depende muito da faculdade. Aqui, na minha, sobra pouco tempo, mas o preparo que temos durante o internato já é bom o suficiente para a prova de residência (é o que dizem. Espero que seja verdade hahaha)

  11. Olá Deco! Tudo bem? Primeiramente queria parabenizar pelo blog, realmente tem posts muito bons e interessantes! Também faço medicina e gostaria que você fizesse um post ou falasse mais como estudou durante a faculdade, se fez resumos ou não, como fazia pra assimilar esse monte de matéria! hahaha Garanto que muitos estudantes de medicina ficam perdidos, assim como eu.

    • Oi Nina! Eu só não fiz porque, definitivamente, não sou um bom modelo de estudante hahahaha em geral eu estudava na véspera. Agora, durante o internato, costumo estudar mais, ler artigos e etc. Mas não tenho uma rotina de estudos muito estabelecida, infelizmente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s